Existem livros que nos marcam de uma forma que por vezes nem nós próprios sabemos explicar. O Diário de Anne Frank é um desses livros. Confesso que apenas o li uma única vez, mas bastou para criar uma espécie de ligação com esta jovem vítima de uma das maiores crueldades da história mundial, devido à sua inocência mas principalmente devido à sua maturidade um tanto precoce e à forma como esta conseguiu traduzir em palavras tudo aquilo pelo que passou, tudo aquilo que sentiu (e muitas vezes foi obrigada a sentir) e o pensamento tantas vezes passou para o papel que fazia transparecer a sua esperança de ver toda aquela tortura e medo acabar. 




Na minha singela opinião, este é indubitavelmente um daqueles livros que toda a gente deveria ler, pela sua história, pela sua realidade e pela sua mensagem. Penso que, depois de lermos o Diário de Anne Frank, é impossível não nutrir um sentimento de revolta e de injustiça, mas ao mesmo tempo sentir que não devemos excluir aqueles que são diferentes, algo que no meu ponto de vista deve ser ensinado desde cedo!

Pull&Bear Sweater / Bershka Skirt / H&M shoes (old)


Talvez por nutrir este carinho pelo Diário desta jovem é que quero, desde que o li, visitar o seu museu. E agora, com a minha ida no final do mês a Amesterdão, esse desejo tornar-se-á, finalmente, realizado! 
Estou ansiosa por saber mais, mas principalmente para poder ver com os meus próprios olhos o famoso "Anexo Secreto" que protegeu Anne e os seus durante 25 longos meses.