Social icons

9.19.2010

Bizarro...ou não!

Deparei-me com esta notícia no expresso e confesso que fiquei chocada e um pouco lixada e eu já estou na universidade, imagino quem não entrou este ano no que queria devido a situações destas ou semelhantes.

Photobucket

A iniciativa Novas Oportunidades representa de facto “um novo impulso no caminho da qualificação dos portugueses”. Senão vejam este caso , a nosso ver Bizarro e que merece ser comentado, analisado e debatido para que não volte a a suceder :

Tomás desistiu da escola sem ter concluído o secundário. Graças ao programa ( novas oportunidades) criado pelo Governo para aumentar as qualificações dos portugueses, teve equivalência ao 12º ano em poucos meses e entrou na universidade com uma média de 20 valores, conseguida com apenas um exame de Inglês. Ainda assim, concorreu em igualdade de circunstâncias com todos os outros.

Oficialmente, é o aluno com a mais alta nota de candidatura ao ensino superior. Admite que beneficiou de uma injustiça.” ( Fonte : EXPRESSO )



A verdade é que todos somos diferentes e existem pessoas com mais facilidade que outras no que diz respeito a estudar. No entanto, não acho que 'facilitar' a vida aos estudantes com mais dificuldade na aprendizagem seja a solução. Deviam sim testar a vontade deles continuarem o seu percurso escolar e em vez de lhe darem a possibilidade de entrar em cursinhos de secundário onde só panfletos fazem e mais meia dúzia de coisas (não digo que todos sejam assim, até porque a minha mãe fez o 12º pelas novas oportunidades e teve imenso trabalho) deviam sim mantê-los no 'secundário normal' e oferecerem-lhes apoio extra, ou seja, explicações.
Ou então elevem a fasquia dos cursos de novas oportunidades e profissionais (ainda que conheça alguns cursos profissionais exigentes) para que depois nas candidaturas um aluno que se empenhou a sério e sentiu dificuldades no secundário não tenha de ficar a ver navios porque X ou Y entrou com 18 valores no curso que ele queria e tudo o que andou a fazer foi organizar eventos, animar crianças, fazer folhetos ou como indica a notícia somente um exame de inglês.

Agora pergunto-me: se ele ficou com a média correspondente à nota do exame de inglês porque é que eu não fiquei com a minha igual ao primeiro teste de História? Sempre entrava com 17,8valores...


5 comments

  1. Que situação estranha.
    Não dizia o curso em que entrou?
    Até me ria se tivesse ficado num curso com média super elevada

    ReplyDelete
  2. Também é então injusto os que entram pelo maiores de 23 anos que nem precisam de exame e apenas têm de fazer entrevista (segundo os que entraram por esse método me disseram).

    É um assunto delicado que obviamente vai separar muitas pessoas pelas opiniões, até pq já vi comentários de valorizar o facto de ele ter tirado um 20 num exame nacional e que foi pelo seu esforço.

    Penso que não é de recriminar ou criar estereótipos sobre o rapaz em questão (como já vi em outros blogs) já que fez o que qualquer outro nas circunstâncias dele teria feito, e falha é sem dúvida do sistema. Também não sei como poderia ser resolvida essa falha e tornar isto mais «justo» para outros, como já disse acima... há mais métodos para fácil acesso à universidade que também deveriam ser discutidos então.

    ReplyDelete
  3. Espera aí. Um aluno que entra pelo +23 não tira lugar a ninguém. Porque existe x lugares para alunos +23 e x lugares para alunos que vêm do ensino normal.
    Pelo menos, na minha faculdade é assim, e nenhum aluno de +23 tirou lugar a quem quer que seja.
    Sim, entrei pelo +23 e concluí o 12º nas novas oportunidades. Faltava-me matemática, e como já não estudava há mais de 5 anos, decidi tentar por essa maneira. E ninguém me fez papinha nenhuma.
    Trabalhava de manhã e ia para a escola até à meia noite. Tínhamos aulas perfeitamente normais, visitas de estudo, e trabalhos sobre todos os assuntos que dávamos nas aulas, bem como apresentações orais. Houve alunos que não conseguiram fazer o 12º pq os profs eram exigentes.
    E para entrar na faculdade tive que fazer um exame de Português e um de Sociologia sem nunca ter tido sociologia na minha vida, e tendo apenas tempo para estudar nas minhas horas de almoço e ao fim de semana.

    Para muitos alunos que vêm do ensino normal pensam que nós somos os burros, mas um dos melhores alunos da minha turma da faculdade veio dos melhores de 23 anos.

    ReplyDelete
  4. Também não queria acreditar quando li isto. Ando eu aqui a queimar as pestanas para ter uma média decente e depois vejo estes casos de alunos que não fazem absolutamente nada durante o secundário e depois passam à frente de muitos (como eu) que se andam a matar a estudar. É o país que temos!!!

    Beijinhos*

    ReplyDelete
  5. *provavelmente comentário repetido visto que ao mandar o original deu o erro 500 e qualquer coisa, se o original tiver sido mandado, que este seja rejeitado*

    Obviamente que não queria chamar burros a ninguém visto que eu propria fiz o secundario num curso profissional mas o que queria referir-me acima, e frisei que não tinha pesquisado sobre o assunto e baseei-me no que os meus colegas que entraram por sub 23 disseram, é que falaram daquilo como se nao tivessem sido esforço algum, referindo apenas uma entrevista e assim.

    Perante o que eles disseram a mim e aos meus colegas, nós achamos isso injusto.

    ReplyDelete

Powered by Blogger.