Social icons

Dormi em casa da Lau. Noite simples, sem grandes planos, apenas com um delicioso waffle repleto de chocolate e uma coca-cola e muita convera à mistura. Bom como sempre.
E durante uma boa parte do serão estivemos a ouvir a deliciosa voz do Pedro Cardoso. É simplesmente viciante.




acabam de me chamar "protótipo de beatriz costa com carlos dos ídolos"
(e incrivelmente lembrei-me da publicidade da tmn.)

Guaranteed





On bended knee is no way to be free lifting up an empty cup I ask silently that all my destinations will accept the one that's me so I can breath. Circles they grow and they swallow people whole half their lives they say goodnight to wive's they'll never know got a mind full of questions and a teacher in my soul so it goes...
Don't come closer or I'll have to go. Holding me like gravity are places that pull. If ever there was someone to keep me at home It would be you...
Everyone I come across in cages they bought they think of me and my wandering but I'm never what they thought got my indignation but I'm pure in all my thoughts I'm alive...
Wind in my hair, I feel part of everywhere underneath my being is a road that disappeared late at night I hear the trees they're singing with the dead overhead...
Leave it to me as I find a way to be consider me a satelite for ever orbiting I knew all the rules but the rules did not know me, guaranteed...

Pearl Jam






10 Julho 2010
Vidros.
Vidros partidos ao longo do caminho. A fonte é desconhecida. Não sabe de onde vieram, e na verdade sente-se demasiado inerte para descobrir. Magoam. Sim, magoam-na quando ela por eles se atreve a passar. Rapariga estranha.
Vazio. Assim permanece o seu olhar como se algo lhe faltasse, como se a alegria por vezes lhe fosse tirada e mais tarde devolvida, para dias após esta voltar a ser roubada. E porquê? Porquê toda esta confusão, este emaranhado de fios de lã, quente e aconchegante lã daquele velho novelo que durante anos permaneceu na prateleira. Até que ponto viverá nesta estranha brincadeira do dá e tira? Até que ponto é um simples sorriso algo tão cobiçado, como se de um doce fitado por uma inocente criança se tratasse?

Pensava. Todos os dias ela pensava naquele determinado assunto, aquele mar de códigos complicados e difíceis de descodificar. Segundos, minutos, horas. Tudo isto passava velozmente, tal como o vento que batia na sua face, calmo e real. Água surgia, então, sob a forma de lágrimas, insípida como a questão central, aguada como toda aquela situação, descontrolada.
Disse-lhe que pensa demais. Talvez o melhor seja parar de pensar...
Lá estava ela. Firme. Sorridente. Postura descontraída, ar sereno, típico de quem não tem nem vê maldade, típico de quem ama o ar que respira, o chão que pisa, o mundo que vê. Os seus olhos cor de mel, sempre atentos e cintilantes, observavam todo e qualquer movimento que se fazia sentir. Até que se cruzaram com os dele. Não. Nada mudou. Apenas cresceu a atenção. Dias mais tarde, voltaram a encontrar-se e, de uma forma um pouco inconsciente, ela decidiu libertar algumas palavras, tendo estas rumado na sua direcção. Ela sorriu. Ele também. Ficou fascinado. Tudo tentou voltar ao normal mas a troca de palavras, curta, não permitiu. E foi aí que ambos perceberam que algo bom podia, em breve, acontecer.

This is what I have. This is what I have when you're not with me. This is what I am right now: A black hole

É impressionante como nos resultados de pesquisa do google relativamente à palavra "Bacafuzadas" estão (quase) todos ligados a mim (:

I am thankful for laughter, except when milk comes out of my nose
too much love to the plastic people.too much love to the plastic people.too much love to the plastic people.too much love to the plastic people.too much love to the plastic people.too much love to the plastic people.too much love to the plastic people.too much love to the plastic people 

John

















It matter not who you love, where you love, why you love, when you love or how you love. It matters only that you love
The silence came bursting through the walls that night. No chairs or tables between you and me. Instead of the usual small talk we just stayed there and waited. No movements. My eyes got used to the pale light. It was raining. Words came to my mind, but i was too amazed to speak. I felt the silence bursting through me. Violently. No warnings. No needs. I closed my eyes for two seconds and suddenly we knew. There was no fear. Tomorrow was here.

Sweet disposition, Never too soon, Oh reckless abandon, Like no one's watching you

A moment, a love, a dream, a laugh, a kiss, a cry, our rights, our wrongs A moment, a love, a dream, a laugh, a moment, a love, a dream, a laugh

Just stay there 'cause I'll be comin' over, While our bloods still young, It's so young, it runs, Won't stop til it's over, Won't stop to surrender, Songs of desperation, I played them for you


vou passar a passagem de ano em Viana com a Lau, a minha irmã e o grupinho desta última. Vai ser "party 'hardar' all night long".

tenciono fazer isto algures
A QUINTA DO FACEBOOK É UMA TRETA
não sei porque ainda tento perco algum tempo com aquilo. pfffff
O espírito natalício afecta-me de tal modo que hoje acordei, liguei a tv e meti no canal Sic Mulher onde estava a dar um programa de culinária natalícia. Podia ter mudado de canal, coisa que noutra altura qualquer teria acontecido. Contudo, não o fiz. Preferi assistir ao programa todo e tentar aprender a fazer aqueles doces maravilhosos e refeições suculentas. Acho que não aprendi uma única receita pois não estava minimamente atenta ao que a mulher dizia. Estava sim envolvida em toda aquela visão de outro mundo, aquela combinação de cores e sabores que eu já imaginava. Até já sentia o cheiro. Deu-me uma vontade enorme de cozinhar, mas cozinhar coisas mesmo boas e diferentes. Nada de massa e arroz. Vou empenhar-me durante as férias, esperando que não seja em vão.
Primeiro passo, retirar os livros de culinária do armário.

WISH ME LUCK!


Last Christmas, I gave you my heart but the very next day, You gave it away. This year, to save me from tears I'll give it to someone special.
Once bitten and twice shy I keep my distance but you still catch my eye. Tell me baby do you recognise me? Well it's been a year, it doesn't surprise me. I wrapped it up and sent it with a note saying "I Love You" I meant it. Now I know what a fool I've been but if you kissed me now I know you'd fool me again

Entrevista David Fonseca

Para todos aqueles que não têm acesso ao Jornal Informativo da UTAD, aqui fica a entrevista a David Fonseca.

David Fonseca anda em tournée para promover o seu novo álbum Between Waves. No dia 28 de Novembro foi a vez do grande auditório do Teatro de Vila Real receber as novas canções e o talento que o artista tem para oferecer. David Fonseca presenteou os Vila-realenses com um concerto cheio de vida e cor e não deixou ninguém indiferente com o humor que foi demonstrando ao longo do espectáculo. Os bilhetes acabaram por esgotar e o grande auditório encheu por completo.

No final do concerto o cantor disponibilizou prontamente a entrevista que se segue ao Informativo.

Between Waves parece reunir um pouco de tudo aquilo que já conhecemos de si, ou seja uma faceta romântica e um tanto melancólica aliada ao seu lado frenético, mas de uma forma diferente, inovadora. Como classifica este seu novo álbum?

Acho que é um disco que tem alguns pés no passado, que reflecte algumas coisas que eu tinha feito mais atrás mas que as mistura todas numa sonoridade nova. Tentei também desbravar caminhos novos como aconteceu aqui no espectáculo, especialmente onde há canções muito diferentes do que fiz anteriormente. É chamada a ruptura na continuidade.

Após o show case do dia 24 de Outubro e após este concerto no teatro de Vila Real o que tem a dizer sobre o público Vila realense?

Acho o mesmo desde a primeira vez que aqui vim, não é a primeira vez que actuo nesta sala. Há muitos anos que tenho actuado em Vila Real e tenho tido sempre uma receptividade muito grande, excelente, e por isso é que volto tantas vezes. Gosto muito de vir tocar aqui e não é por acaso que escolhemos Vila Real como uma das primeiras cidades para tocar nesta tournée. E correu muitíssimo bem como se viu.

Antes do lançamento do novo álbum, lançou um passatempo que permitiu alguns dos seus fãs participarem no videoclip do single “A Cry 4 Love”. Como surgiu a ideia e como classifica essa experiência?

Esta ideia surgiu porque já há muito tempo que queria fazer uma coisa do género, achava que era divertido para as pessoas do lado de lá passarem um bocadinho para o lado de cá e assim passarem uma tarde divertida connosco. Nunca pensei que tanta gente concorresse, foi muito difícil seleccionar as pessoas, vieram praticamente de todo o país: ao selecciona-las, tarefa que aliás não coube só a mim, tentei que fossem um pouco de todo o lado e que pertencessem a várias colectividade e comunidades diferentes. A ideia era representar as pessoas que vão ver um espectáculo meu. Foi uma tarde muito divertida que valeu a pena, foi mais uma tarde de diversão do que trabalho. Foi essa também a razão porque o quis fazer.

Uma das suas preocupações é inovar em cada álbum, em cada projecto que faz. O progredir dessa constante inovação tem-se tornado mais difícil ao longo do tempo?

Não tenho dúvidas nenhumas, é cada vez mais difícil porque não quero repetir as mesmas coisas, passar pelos mesmos processos: mas acho que isso é uma parte do desafio, passar por essas barreiras e fazer coisas novas.

O seu novo álbum ganhou um galardão de Ouro e conseguiu alcançar o primeiro lugar do Top Nacional de Vendas logo na semana do seu lançamento. O que contribuiu para todo este sucesso?

Contribui o facto das pessoas terem muita curiosidade sobre o meu trabalho e querer descobri-lo de forma rápida. Por isso é que logo na primeira semana foi parar ao número um. É um grande elogio que me dão a mim, ao meu trabalho e àquilo que eu faço. Significa que há um interesse muito grande em descobrir o que de novo ando eu a tramar. Por isso fico obviamente muito contente também.

Habituou os seus fãs a um contacto quase directo consigo, através de diferentes redes sociais, como o Twitter . Acha que isso é uma mais-valia para a sua carreira visto que estabelece uma ligação mais próxima com aqueles que o admiram?

Considero que sim porque é uma maneira de eu para já perceber como é que as pessoas ouvem a minha melodia, porque razão a ouvem e quem são. Não gosto de compor uma música para pessoas anónimas, acho um bocadinho estranho porque aprecio a ideia da familiaridade entre as pessoas que ouvem as minhas músicas. Tento ao máximo possível espevitar esse contacto e é também muito divertido conhecer essas pessoas.

Frequentou a Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa e estudou cinema vertente de imagem. Ambicionava realmente na altura exercer as funções para as quais se formou academicamente ou já ambicionava construir uma carreira musical?

Não, pensava exercer o que tinha estudado. Fui músico por acidente, nunca pensei fazer música pelo menos profissionalmente.

Nessa altura pensava mesmo em fazer o meu curso e prosseguir essa área.

Agora sou músico profissional e acabo por seguir essa área quando há videoclips ou fotografias para fazer. Felizmente nunca a abandonei por completo.

Como é óbvio, a sua vida não é só música. Não é o David artista 24 horas por dia e portanto, como qualquer pessoa, tem certos passatempos. Como é o David nos tempos livres?

Faço muitas coisas que as pessoas comuns também fazem: jogo playstation, vejo muitos filmes, passo muito tempo com a minha família, em casa, curiosamente não saio muito. Gosto de estar descalço o dia inteiro, de ouvir música, de ouvir vinis, gosto de comprar vinis em segunda mão no Ebay, (as vezes é uma doença e estou a tentar travá-la porque já tenho mais vinis do que alguma vez poderei ouvir.) As vezes tento adormecer cedo o que é difícil e acordar cedo que também o é. Ocupo o meu tempo livre com todas essas coisas que se fazem quando se está em casa.

Noite final de Semestre



Noite de Final de Semestre

Foi uma noite simplesmente linda isto porque como era a última do semestre as pessoas estavam mais dadas ao sentimento, logo foi possível ouvir umas quantas coisas muito boas e, claro está, dizer algumas.
E como se não bastasse ser a noite de final de semestre também foi o jantar de aniversário da Renata (Reni para os amigos, Reni Cool para quem a adora e Reni Book quando esta diz que se vai empenhar nos estudos, o que é motivo para risada).
Ñão quero adiantar grande coisa. Aliás, o intuito é apenas mostrar algumas fotos das pessoas queridinhas e especiais que foram ao jantar porque ficaram bem engraçadas, ainda que me tenha enganado na lente. Acrescento que algumas fotos foram tiradas pelo David, o senhor da segunda foto (:

ps- não tenho fotos dos restantes. blah!


tenho saudades do ano lectivo passado
Adoro lábios pintados de vermelho. O efeito 'pin up-boneca de porcelana' é simplesmente fascinante. Contudo não fica bem a toda a gente. Por isso mesmo terei de comprar um batom vermelho-sangue, uma vez que não gosto de vermelho vivo, para ver se em mim fica aceitável, deslumbrante ou uma valente porcaria.
FLORENCE AND THE MACHINE em Portugal

Melhor notícia não podia existir, principalmente quando esta menina britânica de voz doce actua no nosso país no dia 16 de Março na Aula Magna. Um dia depois é o meu aniversário e não existe melhor forma de passar a meia noite. Tenho de tentar que o dinheiro dê para tudo...


"Já começou a ser distribuído o CD "Christmas 2009", o presente de Natal que o David Fonseca preparou especialmente para os membros do Amazing Cats Club - um original e três versões!

São momentos especiais estes que David nos proporcionona: uma versão de "Army of Me", tema de Björk; "Lover, You Sould've Come Over" de Jeff Buckley e "Ocean Of Noise" dos Arcade Fire, gravados ao vivo com a participação do pianista Mário Laginha; e "Come Home II", um original não incluído em "Between Waves".

Em breve na caixa de correio de todos os Amazing Cats!"

e eu mal posso esperar por este meu presente de Natal...
E depois de uma semana mais do que atribulada repleta de trabalhos, apresentações e frequências, que podem ou não resultar em possíveis exames, chegaram as merecidas férias. Além disso, hoje a Reni faz anos o que significa festa a dobrar.
Espero chegar a casa a rir-me pois afinal de contas já está na alturinha de me divertir. Já não sabia o que era uma semana sem sair um único dia, nem para tomar café.
Ahmm, e depois do jantar de aniversário tenciono visitar o Mário, o dono do Undergreen, um cafézito bem interessante com os melhores tremoços do mundo, tudo porque têm salsa :)

Ps- Espero voltar com montes de fotos
Ps2- Ontem estive a cozinhar com a Rita e resolvi duas coisas:
1- tornar-me melhor na cozinha porque me divirto imenso a cozinhar
2- em todas as receitas colocar...salsa!
Trocas e Baldrocas







sem dúvida alguma que há trocas melhores que outras...

só queria um Pai Natal jeitoso com um saquito cheio de miminhos destes ♥
Dei um tombo descomunal com as compras feitas minutos antes no Continente e o telemóvel novinho em folha na mão. Arranhei o telemóvel, deixei cair as compras e como tinha as mãos ocupadas caí de cabeça. Doeu. Doeu imenso. Nem imaginam o quanto. Fiquei estranha, tonta. Mas agora parto-me a rir só de pensar. Claro...estas coisas só dão para rir quando já temos as mãos e joelhos esfolados curados e a cabeça com betadine.
Amanhã tenho frequência e não consigo pegar direito na caneta. Lindo!

Vou estudar, acabar o trabalho de Análise e ouvir Minta para acalmar esta depressão.




ALL I WANT FOR CHRISTMAS IS...

you, dear Canon EOS 500D

pena é que custes 1000 euros!


Só espero que alguém oiça as minhas preces e MGMT

venham a Portugal em 2010.

All you need is - Minta & the Brook Trout


Minta & The Brook Trout.

Minta é uma jovem como tantas outras. Minto. Minta é uma jovem como tantas outras mas com uma voz viciante. Minta, que não é Minta mas sim Francisca Cortesão, uma cantautora nascida no Porto, que ao unir-se a Mariana Ricardo e a Manuel Dordio formam um só coração musical, uma só mente brilhante, uma só melodia cativante, um só projecto de seu nome Minta & The Brook Trout.
Aqui, tudo é simples, e é talvez essa simplicidade que fascina, que seduz, que encanta até o ser mais 'coração de pedra'.
Em "Minta & The Brook Trout" somos bombardeados por um Folk Rock com uma pitadinha de Pop. Uma receita perfeita, talvez. E de música para música a atenção fica mais presa, os sentidos despertam, não fossem os arranjos modestos das melodias de Minta totalmente apaixonantes.


myspace: www.myspace.com/mintamusic


<

UMA CABEÇA PANDA BEBÉ,
nunca tinha percebido muito bem o que ela queria dizer com essa história do panda bebé mas achava-lhe piada, por causa dos pandas, que adorava, e por causa dela que tinha sido a única coisa que tinha conseguido amar na vida.

As cuecas traduzem o estado de espírito. Esta é a minha mais recente teoria.
Quando estamos em baixo, naqueles estados quase depressivos onde só o chocolate nos consegue consolar, e por vezes nem mesmo ele, as cuecas que melhor traduzem o nosso estado de espírito são os cuecões, conhecidos amavelmente por cuequinhas da avó. E porquê? Ora, são as mais confortáveis e transmitem aquela imagem de 'fogo, estou sozinha porque ninguém me quer portanto se ninguém vê estou-me a marimbar'.
"Ninguém me quer". As mulheres por vezes têm uma certa tendência para exagerar. Mas isto não vem ao caso.
As cuequinhas da avó também surgem noutras situações: quando queremos dormir com um à vontade enorme, quando praticamos desporto...resumindo, usamos mais tecido quando o conforto é necessário. Dormir de cuequinha fio dental, por exemplo, não é lá muito confortável e além disso, segundo alguns ginecologistas, usar o dito fiozinho não é lá muito bom para a saúde., isto porque " impedem a ventilação do local e aquecem a região, o que acaba promovendo a proliferação de bactérias e fungos no aparelho genital e, consequentemente, o surgimento de infecções e corrimentos."
E caso queiram perceber o porquê de a saia não ter sido inventada à toa leiam isto (click click) porque até tem piada.
A verdade é que usamos coisinhas mais reduzidas porque são mais sensuais e fazem-nos sentir 'boas como o milho'. As rendinhas, os lacinhos, os padrões são capazes de tornar umas simples cuecas num acessório de moda o que é fantástico. E estas cuequinhas reduzidas, as fisgas ou fisgonas como muita gente lhes chama, são muitas vezes usadas quando andamos no engate, quando nos queremos sentir bonitas, quando não andamos de olhos postos no chão e em emo mode.
Mas para mim não há nada melhor que o meio termo, as cuecas brasileiras. Não são o 8 nem o 80, são confortáveis sem ter tecido em excesso e não fazem mal à saúde. Oh god!
E que tipo de estado de espírito transmitem estas? Pois, não pensei muito nisso. Mas acho-as práticas e ao mesmo tempo sensuais. Não mostram a menos nem a mais. São as cuecas do equilíbrio por natureza, hah! Adoro!

ps- vou agora comprar lingerie. uuuuuh!
Estou apaixonada por uma toupeira ♥

David Fonseca - Vila Real


No passado dia 28 de Novembro assisti ao concerto do David em Vila Real. Antes de o espectáculo começar decidi levantar dinheiro para comprar o Fan Pack. Foi aí que percebi que me tinha esquecido do cartão multibanco nas caixas automáticas do Jumbo. Para piorar tudo não me deixaram assistir à primeira música tudo porque tinha saído da sala e só podia voltar a entrar quando a canção terminasse. E nesses 3 minutinhos meti conversa com o senhor que vende os artigos 'david-fonsecanos'. Zé, foi como se apresentou. Bastante simpático devo dizer, isto porque me ofereceu uma camisola que segundo ele tinha defeito. Parece que um buraquinho feito por uma traça é defeito ainda que seja quase invisível.
Depois disto tudo melhorou. Casa cheia, bilhetes esgotados em pouco tempo, público entusiasmado e um palco onde a magia pairava no ar. As músicas do novo álbum, Between Waves, são, a meu ver, bastante agradáveis. Mas eu sou suspeita a falar de David ainda que saiba distinguir o bom do mau.
O relógio foi percorrido pelos ponteiros a uma velocidade relâmpago. Os últimos aplausos soaram e o David abandonou o palco.
Pensei "É agora que o vou entrevistar" e nenhum nervosismo surgiu. Estava entusiasmada, apenas.
A má notícia surgiu. O David estava a ficar com problemas na voz e isso fez-se notar durante o concerto. E foi este o motivo que o impediu de falar com os fãs e jornalistas.
Mas pensam que me ia dar por vencida? Na na ni na na...
Eu e os meus colegas procuramos informar-nos quanto à localização do backstage e quando lá chegamos, abrimos a porta, subimos as escadas e sem autorização entrei numa pequena sala onde a equipa se encontrava reunida.
"Boa noite! Então, está tudo bem?", disse. Obviamente que as risadas e palavras amáveis começaram a bombardear-me.


Perguntei onde estava 'o meu homem' pois não o vi nessa mesma sala. Eis que surge o David, de camisola bem quente, óculos e cachecol ao pescoço, e me dá um enorme abraço.
"Daniela, há tanto tempo. Dá-me mas é um abraço."
E entre conversas inusitadas e comentários bastante cómicos lá pedi autorização para fazer a entrevista. O 'sim' foi imediato ainda que a assistente, a minha querida Ticha, tenha ficado reticente. Mas sabem como é, a minha carinha de anjo faz milagres.
A entrevista foi indescritível. Eu estava super à vontade e acho que me safei mesmo muito bem. A parte cómica da situação foi o facto de eu e o David estarmos quase afónicos. Comparo essa cena à publicidade da vodafone onde dois roucos falavam. Lin-do!
Claro que tive direito a fotos, piadinhas e ainda a um vídeo do David onde aconselha o meu blog. Avisei ainda que daqui a um ano o meu currículo estará nas mãos dele para ser sua R.P. A isto o David apenas respondeu "Olha que uma RP faz tudo" e a minha resposta foi motivo de gargalhadas: "Eu faço tudo...apanho toalhas do chão e até te limpo o suor!"
Ah, e devo ainda dizer que gostei de saber que o Paulo, o teclista, me viu durante a Semana do Caloiro enquanto estava no palco a actuar com os 'Quem é o Bob?' e ainda do facto de ele ter dito sim quando lhe pedi para me ensinar a tocar piano para posteriormente entrar na banda.

Agora, apenas resta esperar que a entrevista seja publicada para a poder postar.
ARI, pára de venerar o meu blog (:
Powered by Blogger.