Social icons

10.16.2009

Recepção U.M. - parte 1

E foi esta a razão do meu antecipado regresso à Póvoa. Bem, é melhor reformular. Foram ESTAS as razões. Sim, porque o cartaz não era assim tão cativante, mas saber que iria fartar-me de rir com os meus amigos vale bem mais do que uma aula de inglês (à qual faltei para estar presente na quarta).


"23 horas em tua casa, Daniela!", disse a Guida na mensagem. Depois disto, toque para descer, abrir a porta de casa, não sem antes verificar se não me esqueço de nada visto que sou uma cabeça de pito. Saio de casa, saio do prédio. Procuro o carro, entro no carro. Falo ao telemóvel com a Laura que infelizmente não vem esta semana, nem na próxima. Estou destroçada! Mando carnhosamente a Laura à merda. Não no sentido de a mandar passear, mas sim porque é a nossa forma querida de dizer adeus. Desligo a chamada. Cumprimento a Guida, sempre linda e sorridente, e o Zé Pita, que continua cómico e com ar de quem não parte um prato.

"Esqueci-me do cartão de estudante, bolas, bolas, bolas!" - e mais uma vez dei provas de que sou uma cabeça na lua. E o facto de ser lunática lá me custou mais três euros, o que equivale a três finos a menos. BO-LAS!


Azeituna no palco, quase a acabar a actuação, mas matou a minha fome de ouvir tunices. Liguei a minha irmã. Ouvia mal, muito mal. Ouvi uma voz e comecei a falar: blábláblá azeituna, blábláblá gajo giro do estandarte, blabláblá quero ouvir a música dos Suevos...
Passado umas horas ele envia mensagem onde era possivel ler: Porque é que estavas a falar com o voice mail?
E mais uma vez dou por mim a rir-me de mim própria.
Hora de Neurónios Abariados, concerto giro por sinal. Mas nós queríamos era o 'senhor sexy da concertina' e bigode pentelhudo. E minutos depois, com sede de palco, lá nos matou a fome de dança rancheira que deu origem a inúmeras coreografias nunca antes ensaiadas mas bastante sincronizadas, nada elaboradas, mas extremamente engraçadas. Ulálá, rimei (: influências do Tio Quim?
Lá cantamos 'Chupa Teresa', 'A cabra da tua ti que berrava quando fugia', 'eu gosto de mamar nos peitos da cabritinha' e a comédia da noite, 'Onde é que está a Guida? Está fugida', onde oa palavra 'fugida' muitas vezes era substituida por um certo palavrão que rima com Guida. Mas isso são pequenas notinhas que não interessam nada.

Dj's time. Nada de especial, pelo menos a meu ver.
As risadas voltaram logo de seguida ao ver a dança inusitada do Nelson (este senhor aqui todo sorridente). Confesso que levar empurrõezitos dele enquanto ele dançava mais alegre do que nunca e tirar uma foto com ele (a primeira) era o meu desejo mais secreto (risos).
Viemos embora e deparámo-nos com uma senhora de idade, de roupão e pijama rosa, a caminhar sozinha pela berma da estrada as 5 da manhã. Estranho. Muito estranho.

1 comment

  1. muhahhaha , o tio quim , x)
    essa mulher mete mesmo medo -.-'
    Beijinhos Duda ' @

    ReplyDelete

Powered by Blogger.