Social icons

8.08.2009

Paredes de Coura - parte 4


Finalmente o último post sobre Paredes. E tanta coisa ficou por dizer...

Dia 1 Agosto

A mesma rotina: acordar, banho, deitar na relva a ver as pessoas a passar, dizer piadas, rir até chorar, beber, comer e voltar a beber.
Foge Foge Bandido foi bom dentro dos possíveis. É aquilo a que eu chamo 'um bom concerto para ver numa sala de espectáculos'. Contudo, apesar de calminho, foi bastante agradável, até porque fico sempre hipnotizada com a voz e olhos do Manel.
Gostei especialmente da parte em que uma rapariga, provavelmente já alcoólica, começou a gritar "Manel faz-me um filho". Isso aliado aos cartazes com frases catitas que se encontravam junto ao palco resultou numa expressão única do Manel, que reunia um pouco de "que engraçado" com "que merda vem a ser esta?".
The Right Ons passaram-me ao lado pelo simples facto de estar a morrer de fome e a necessidade de fazer um piquenique sem toalha, juntamente com a obrigação de não permitir que a vodka preta se estragasse eram bem maiores do que qualquer outra coisa.
Terminadas as sandes de atum e salsicha, assistimos a Howling Bells, concerto que o Luís tinha apontado como a grande revelação desta edição de PDC. O resultado das antevisões é que podem estar erradas (:
Tendo em conta que o Luís é um grande entendido (como ele próprio afirmou, quando está 'alegre' só fala 'musiquês'. Eu confirmo!), tanto eu como a Laura estávamos à espera de um grande concerto, o que não se verificou. Assisti ao espectáculo sentada na relva, abanando a cabeça muito levemente. Contudo, atribuo um louvor à Juanita Stein pela enorme simpatia com que comunicou com o público. Esta chegou até mesmo a dizer que estava a adorar a experiência no nosso país uma vez que aquele era o ambiente mais bonito onde alguma vez actuou.
Seguidamente, fomos contemplados com o extrovertido Jarvis Cocker. Sempre divertido, encantou-me pela forma como comunicava com o público. Tem um estilo muito próprio, pelo qual me apaixonei. Encantou-me com determinadas músicas, como por exemplo Further Complications, Leftlovers e Homewrecker.
Apesar do esforço de Jarvis relativamente à sua performance , a multidão estava mais entusiasmada com o concerto que decorreria em seguida, The Hives.
Como já estávamos à espera, Pelle Almqvist deu-nos vontade de rir com o seu enorme egocentrismo e os sucessivos "We are The Hives" e "You love The Hives". Porém, é impossível negar o excelente concerto que estes senhores deram. Apesar de no final já estar sem forças devido ao numeroso e empolgante mosh, no qual orgulhosamente participei, a energia deles contagiou-me. Terminou da melhor forma com o tema Tick Tick Boom.
Sizo apenas ouvi enquanto o Luís devorava algo comestível do qual não me recordo. Eu espumava por uma coca-cola devido à enorme sede que me assombrava. O multibanco estava bastante concorrido, o que só nos consumiu tempo. Apreciei umas quantas técnicas utilizadas com determinadas substâncias, e por isso mesmo me foi pedido para fazer um filtro. Não obrigada!
A dor nas costas estava a tornar-se insuportável. Estávamos prestes a desistir, não fosse a minha querida Kids dos Mgmt começar a tocar. E assim se deu uma boa entrada do Nuno Lopes. Não assistimos até ao final, devido às dores enervantes e à própria música que se estava a tornar um pouco repetitiva, um constante déjà .
Bebemos água gelada. A noite estava um pouco fria.


Dia 2 Agosto

Arrumar: desde guardar tudo nas mochilas a comer os restos para evitar levar demasiadas coisas, passando pela desmontagem da tenda e breves despedidas.
Amontoamos o carro do Luís. Abastecemos o carro, apesar do Luís não se recordar o que o 'bolinhas bebia'. Portagens e mais portagens. Antena 3 e o seu programa de música "yo!" bastante irritante. Mais portagens. Chegamos a Barcelos. Despedimo-nos do Manel, aquele cómico-metaleiro que afirmava que Paredes de Coura é uma vila que foi construída pelos milhares de indies que frequentavam o festival (:
Fizemo-nos novamente à estrada. Direcção - Chaves. Próxima paragem- Guimarães, onde eu e a Laura, momentos após descarregamos as coisas junto ao shopping e esperamos pela chegada da minha mãe. Só queria um banho, um bom e perfumado banho.
A mãe chegou. Falamos de tudo quanto a Paredes. Ou melhor, falei. Tenho de aprender a controlar-me (:
Pus os pés em casa. Nunca amei e odiei tanto chegar a casa. Tudo o que passamos naquele acampamento poeirento, tudo o que dissemos na tenda azul/prateado, tudo o que presenciamos no magnifico recinto eram agora apenas lembranças.
Mas existe uma certeza: para o ano estamos novamente lá. Ai se estamos!

3 comments

  1. The Hives deve ter sido fantástico :)
    para o ano sou eu também a ter essa experiência de ir a paredes de coura (espero eu!).

    ReplyDelete
  2. "Ai é tão bom uma amizade assim
    Ai faz tão bem saber com quem contar..."

    Laura Tarrafa

    ReplyDelete
  3. Sim, sim , é o belo do Manel :)
    Também gostava de ter ido a Paredes :( mas para o ano espero estar lá :D
    Deve ter sido excelente, e pelo que escreveste confirma-se :)

    ReplyDelete

Powered by Blogger.